Lâmpada do Futuro

Lâmpadas de plasma recém-desenvolvidas são 10 vezes mais claras que as comuns, consomem quase metade de energia e duram até 20.000 horas.

lampada-de-plasma.jpgSe não fosse o caráter profissional, tudo poderia parecer, por exemplo, demonstração de estudantes acerca do quarto estado da matéria numa feira de ciências querendo mostrar o efeito luminoso de átomos de gás excitados em ambiente fechado sob baixa pressão e alta temperatura provocada por descargas elétricas de alta voltagem a partir de um eletrodo central.

Só que quem anuncia é nada menos que a Luxim, gigante no mercado americano, sediada no Vale do Silício, EUA. Sua façanha: otimização máxima da energia luminosa produzida em plasma num espaço hermético tão diminuto.

— Veja o que diz o engenheiro responsável pela pesquisa junta à Luxim a respeito de seu experimento:

Enquanto uma lâmpada incandescente comum gasta 400 Watts, no mesmo tempo, a lâmpada de plasma consome 250 Watts. Enquanto uma lâmpada incandescente produz 15 lúmenes por Watt, um LED do tamanho de um dedo chega a 70 lúmenes/Watt, já uma lâmpada de plasma do tamanho daquelas de presépio produz 140 lúmenes/Watt e dura praticamente o dobro de um diodo semicondutor. E ao centro da câmara ionizada onde fica o eletrodo a temperatura pode ultrapassar 6000°C, algo próximo da superfície solar. Com essas características o efeito luminoso assemelha-se ao espectro solar ao chegar à Terra.

Até recentemente, essa forma de energia era desacreditada mesmo por engenheiros dentro da própria Luxim, até que um grupo liderado por Tony Mcgettingan, CEO, passou a investigar novas formas seguras de aquecer gás ionizado de argônio para produzir luminosidade superior aos padrões atuais. Tony e sua equipe desenvolveram lâmpadas mais eficientes e econômicas que as disponíveis hoje em dia, cujo resultado surpreendeu seus idealizadores e acendeu esperança de clarear novos horizontes.

— Vários estudantes capricham em exibições de produção luminosa à base de plasma. A coloração depende do tipo de gás empregado. Veja um exemplo:

A grande vantagem dessa tecnologia é o aproveitamento total da energia produzida pois não há nenhum condutor envolvido, nenhum filamento acoplado. A neutralização das cargas ionizadas tende ao equilíbrio das cargas positivas com as negativas.

Veja em síntese como é simples. É a excitação de átomos de gás que se ionizam (surgimento de cátions e ânions) que ao voltarem ao estado normal emitem luz. Como o processo tende a ser cíclico enquanto houver descargas elétricas, a luz permanece através do gás ionizado e confinado, no caso de lâmpada, sob baixa pressão e em alta temperatura.

O plasma em si, como um estado agregado da matéria (o quarto), contém seus átomos decompostos em seus componentes, elétrons e núcleos, e é, por conseguinte, eletricamente condutor. Isto equivale dizer que o movimento de seus elementos está sujeito à influência de campos elétricos e magnéticos.

Exemplos estão presentes diariamente em coluna de plasma de tubos de neônio, faíscas elétricas e relâmpagos.

Não custa nada também revermos o princípio da lâmpada incandescente, a título de comparação.

Grande vantagem de lâmpadas de plasma está vinculada à questão ambiental. Não há presença de metais pesados em sua confecção, o que contribui muito para a causa ecológica. Já as lâmpadas fluorescentes contêm mercúrio, portanto, sujeitas a causar sérios riscos ao homem, por contaminação direta ou através do meio ambiente. O mercúrio pode provocar danos aos rins e à mente.

Se você tiver um tempinho a mais (meio demorado) e quiser conhecer um pouco do processo produtivo de lâmpadas incandescentes aí está esse vídeo a título de curiosidade.

Ultimamente, o plasma vem ocupando mais e mais espaço no nosso dia-a-dia através de aparelhos modernos como em TV de plasma, em HDTV. Embora o plasma esteja presente em 99 por cento de toda a matéria desde que o mundo é mundo — o restante é sólido, líquido ou gasoso —, poderá contribuir muito mais para o nosso conforto diário, desde que devidamente utilizado com segurança. É nesse ponto que entra a questão tecnológica, que caminha rumo à exploração de novas aplicações.

Não que a lâmpada incandescente, inventada por Thomas Edison, em 1880, vá desaparecer tão cedo, mas sem dúvida a lâmpada de plasma representa grande avanço da engenharia elétrica em várias áreas sociais.

Bem que poderia ser chamada de lâmpada ecológica, pois além de não agredir o meio ambiente a lâmpada de plasma ilumina mais e tem maior durabilidade.

Plasma pode significar mais luz. Mas que a mente de cada um brilhe ainda mais!

Petrosky

P.S.: Leitura complementar (auf Deutsch).

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: