Pró ou Contra?

Microsoft cativa adolescentes com “MyBytes”.

E lança campanha educativa sobre propriedade intelectual.

Eu sei que a questão é muito polêmica e não quero aqui entrar em seu mérito, mas, sendo bem breve, um dia desses um analista de sistemas e desenvolvedor de aplicativos comerciais ficou surpreso ao saber que eu havia adquirido mais uma licença do XP. Logo entendi seu ar da graça: ele não aconselha pagar direitos ao autor de uma ferramenta de trabalho tão valiosa porque existem cópias aos montes logo ali na esquina da pirataria. Todavia, ao ser perguntado quanto à sua reação em ver um de seus produtos pirateado e vendido por camelô, ele engoliu seco e não soube responder de pronto. No máximo disse: “bem, aí…” E ficou nisso mesmo, saiu de fininho. Nunca mais foi chamado… Que mal tem eu pagar alguém que me dá retorno? Mas eu não queria tocar nesse assunto é já cutuquei a onça com vara curta.

A título de informação, a Microsoft lança uma campanha educativa sobre propriedade intelectual voltada principalmente a adolescentes em escolas de nível fundamental ou secundário (nos EUA), sugerindo inclusive alteração da grade curricular. Uma pesquisa recente aponta que metade dos adolescentes pesquisados não entendem bem questões de diretos autorais, apenas 11% entendem bem e desses 82% estão cientes de punição em caso de download ilegal.

Mas os jovens nem querem ouvir nada sobre isso, alguém certamente argumentou. Foi aí que veio a idéia estratégica: O que a Microsoft apresenta hoje (13/02/2008) é um recurso para atrair esse público-alvo agregando lições de direito exatamente do jeito que o Bill gosta. Essa isca nada mais é do que MyBytes, um website que permite criar, publicar e compartilhas sua própria modulação sonora. Você pode mixar suas próprias músicas ou simplesmente ouvir de outros. Converter sons que você mesmo cria em ringtones (já em formato MP3) e publicar.

O site apresenta mixagem sonora, mostruário já bem surtido de ringtones, pontos-de-vista, entrevistas, enquetes e perfil do usuário. Além disso, um monte de exemplos de casos legais e ilegais de forma didática dirigida à juventude. Para usufruir dos recursos do site basta se cadastrar e pronto.

Agora, será que a Microsoft leva à risca o próprio direito autoral de um estudante, por exemplo, ao elaborar um ringtone e publicar no site?

Você é a favor ou contra?

Isso bem que daria um outro post, hum?

Petrosky

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: